Archive for December, 2007

h1

Santa has came to town!

30 December 2007

And one more Christmas passed. This year it was quite different, though. This year, there was ‘Christmas-coconut-trees’ and no fireplace. It was very strange to me to pass Christmas Eve with such fresh clothes and surrounded by air conditioners. The so called ‘Christmas spirit’ wasn’t even the same – not less, but different.

I spent it at my grandparents’, in a little town in the state of São Paulo, called Monte Aprazível. As always, my grandmother was very perfeccionist with the decoration – the living room was adorable, with a little Christmas tree with plenty of presents around it (although I think some of them were fake, just as a decoration piece) and lots, lots of candles. I had never seen so many candles together. It may sound beautiful, it surely was, but it was horrible to light all them, the air conditioner didn’t make our job easier. So we preferred to keep the air conditioner and quit the candles – fair enough.

The celebration itself was very simple, like every year. However, my grandmother insisted on a little more of praying. But we still managed to make it lighter, with some laughs during it. The best, however, was spending time with the family, talking and joking. Although it wasn’t my home, I felt like I was at home.

Anyway, the Christmas doesn’t feel more like some years ago. It’s completely different when there is children too, waiting anxiously for midnight and then play with the presents the entire following day. I remember how mad I got when people gave me clothes or so – they weren’t made to be played, so why on hell should they give clothes? But that’s normal, I guess Christmas has different meanings throughout life. Neverthless, I’m sure that it doesn’t matter the age, Santa will always be welcome. (:

h1

Top 5 Christmas Songs

18 December 2007

It’s Christmas time. (:

I know it’s still a bit until then, but I can’t help this Christmas spirit. Such a beautiful time deserves beautiful songs as well. And surely, there are plenty of them. I selected some and made a ‘top 5’. There are others I like too, but I guess these are the ones that I keep singing in my head.

5. Jingle Bells Rock

I selected this one by Billy Idol. From the ones I found on YouTube, I guess this was the better. Still, not the best. Anyway, better this than Hillary Duff or so. Yuck.

4. Have Yourself a Merry Little Christmas

So simple and so beautiful at the same time. An extraordinary feeling of peace and tranquility. I loved this jazzy version by Diana Krall, like the rest of the songs of her Christmas CD. In my opinion, a ‘must have’.

3. Let It Snow

One of the most famous ever, full of optimism. And it’s dispensable to say why. Another jazzy version, this one by Jamie Cullum.

2. Silent Night

The classic one. And as a classic, it shouldn’t miss the top. Performed by The Corrs.

1. Happy Christmas (War is Over)

Perfect combination of lyrics and melody – not impressive, knowing who’s the author. Should be a lesson for many. Ladies and Gentlemen, I give you ‘Happy Christmas (War is Over)’, by John Lennon. (:

And that’s it. I hope I was fair enough…

Merry Christmas!

h1

Brasil

16 December 2007

Sim, estou no Brasil agora. (:

Vim cá passar as férias de Natal, cheguei hoje e volto dia 6 de Janeiro. Soa-me muito, mas muito estranho passar o Natal no calor. Há aquela tendência a associar o Natal a neve, frio e lareira acesa. Mas este ano parece-me que vai ser mais  sol, calor e piscina. Bem, há que variar! Já a passagem de ano, soa combinar mais com calor do que frio. Veremos no que dá, mau não será. : D

A viagem de avião correu bem. Meia hora de atraso – que hoje em dia é coisa extremamente comum. Até hoje detesto de morte as 9 horas de vôo. Grr! Se bem que desta vez passaram-se mais facilmente: os lugares tinham televisões individuais, e estas tinham vários canais, com vários filmes. Vi 3 filmes neste vôo – Ratatouille (pela 3ª vez), Hairspray (que definitivamente não recomendo) e um outro com a Angelina Jolie. Não sei o nome, pois só o apanhei a meio. Mas também não me pareceu nada de especial. 

Não consigo escrever muito mais hoje, a viagem foi bem cansativa. Escrevo com mais calma duma próxima vez. (:

h1

Couch Surfing

11 December 2007

Já me tinham falado no site, e hoje lembrei-me de procurá-lo na internet. Chama-se Couch Surfing e nele estão registadas milhares de pessoas que oferecem os seus sofás, sem cobrar nada, para turistas que pretendam passar alguns dias na sua cidade. Assim, podem trocar ideias e experiencias com pessoas de outros países, fazendo amizades e contactos. Com certeza, oferece experiências únicas aos que estão inscritos no programa. (:

Quanto a segurança, não sei como funciona. Provavelmente o site deve dar indicações a respeito. E sem dúvida, informar-me-ei mais sobre isso, quem sabe não venha a inscrever-me e receba alguém no meu sofá. Ou então, quem sabe não venha a dormir no sofá de alguém algum dia em algum lugar. Sem duvida, deve ser um serviço muito útil para quem viaja em interrail – viagem que, caso tudo corra bem e como planeado, eu mesma venha a fazer algum dia através da Europa, ou algum outro canto do mundo. Realmente não importa daqui a quanto tempo, mas faço questão de fazer uma viagem assim. What a dream… : D

h1

“Vós, jovens, sois o futuro”

8 December 2007

O porquê do título? Tema da composição no último teste de português. Obviamente, foi uma pequena adaptação do Vos estis sal terrae do Sermão de S. António aos Peixes, para desenvolvermos um texto a partir de um conceito predicável, etc etc – as tais coisas sem futura aplicação (ou então não). 

‘Há muito para falar sobre isso, meninos. Vá lá!’ Realmente, até há. Tendo em conta a extensão do chamado ‘futuro’, também o será o que está nele incluido. Engraçado é a passagem de um tema inicialmente banal e normal para algo que nos faz reflectir um bocado. Irónico é como me soa a maldição uma frase que supostamente deveria servir de incentivo. E revoltante é a sensação de que, conforme o tempo passa, as coisas se vão acumulando, tornando piores para os que ai vêm: o ambiente cada vez mais destruído, a fome e a pobreza cada vez maiores, a ameaça de guerra cada vez mais perigosa, o mercado de trabalho cada vez mais competitivo…

E era neste tema que queria chegar. Não que os outros não sejam importantes, mas nesta fase é este o que nos mais é jogado à cara, é este o que nos está mais próximo actualmente. Tamanha é a pressão em conseguir boas notas na escola, em entrar numa boa universidade e num bom curso que por vezes chega a ser desesperante. Sim, temos de aceitar a situação e lidar com ela da melhor maneira possível, não há nada a fazer quanto a isso. Mas ninguém é de ferro, e isso sempre acaba por afectar. Falo por mim, que chego estafada ao fim da semana e passo todo a semana à espera do fim dela. Desanimante. A vontade é de às vezes deixar tudo de lado, deixar que o futuro chegue, passe e se vá, e tiremos proveito dele sem pagar o preço necessário para isso. Ao estilo dos parasitas. Mas a realidade exige mais a conhecida lei do mais forte, já que a diferença a uma selva não é assim tão grande. E as regras da Mãe-Natureza são incontestáveis.

O saber lidar com isso, aprende-se com o tempo. Cada um encontra, à sua maneira, uma forma ou algo que impulsiona. Porque, por regra, ninguém o faz sozinho. E quem o faz sozinho, duvido que sobreviva tão bem à tal lei do mais forte.

h1

The Beginning.

2 December 2007

Finalmente, um blog.

Hora de nascimento: 2h10. Daí que não saia mais nada de jeito por agora.